Acessibilidade | Diferencial Estratégico

Selo guiaderodas e a modernização dos conceitos e práticas de acessibilidade

Não poder contratar um profissional ou fazer uma reunião com um fornecedor por problemas de infraestrutura é algo muito constrangedor. Pior ainda: não poder receber clientes em seu espaço gera perda de vendas, além de criar uma má impressão em potenciais compradores. Apesar de ser praticamente impossível encontrar alguém que discorde disso, ainda existem muitos empreendimentos que apresentam problemas de acessibilidade. Para que todos se sintam bem-vindos, é fundamental que exista um comprometimento permanente das corporações.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que uma em cada sete pessoas no mundo tenha algum tipo de deficiência. No Brasil, estimativas conservadoras do IBGE apontam para cerca de 13 milhões de pessoas com alguma deficiência, o que representa aproximadamente 6% da população. Para essas pessoas, sair de casa pode representar grandes desafios, devido à falta de acessibilidade em ruas e edificações.

Mas não são somente esses números que devem preocupar. Nos últimos dez anos, o Brasil ganhou 8,5 milhões de cidadãos acima dos 60 anos e essa parcela da população deve chegar a 38 milhões em 2027. Além disso, idosos, obesos, gestantes e crianças com até cinco anos de idade também podem ser entendidos como pessoas com restrição de mobilidade, já que também precisam de ambientes acessíveis para viver de forma segura e autônoma.

Ainda assim, as vantagens da acessibilidade não se limitam somente a essas pessoas. Mesmo indivíduos jovens e em pleno vigor físico se beneficiam dos aprimoramentos, pois estão sujeitos a lesões ou a circunstâncias temporárias, como o porte de uma mala pesada ou o uso de sapatos de salto alto, por exemplo.

Com o endurecimento de leis e fiscalizações, existe também o risco de autuações e multas. A ABNT define diversos padrões e regras que devem ser seguidas por edifícios e equipamentos. A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, de 2015, estabelece punições a quem não as cumpre. Não são raros os casos em que as multas aplicadas chegam a valores milionários, importâncias por vezes muito maiores do que os custos para a adequação.

Garantindo mais qualidade à acessibilidade

Para empresas e empreendimentos que acreditam que acessibilidade é um diferencial estratégico, o guiaderodas oferece um serviço de qualificação de edificações e equipes. Seguindo a filosofia de que uma experiência acessível abrange “coisas e pessoas”, o processo engloba avaliação arquitetônica minuciosa, vivência funcional de pessoas com deficiência e treinamento de equipes para melhor lidar com a diversidade humana.

Pautada nos conceitos de adaptação razoável e na busca por soluções com bom custo-benefício, a qualificação vai além do cumprimento de normas e do treinamento de pessoas. Ela simboliza o comprometimento e o entendimento da acessibilidade como um processo contínuo de preocupação e cuidado com os ocupantes do espaço.

Os empreendimentos que são capazes de atingir um elevado nível de excelência são premiados com o Selo guiaderodas, que já foi conquistado por alguns dos mais importantes empreendimentos e escritórios de São Paulo. Adicionalmente, recebem destaque no aplicativo guiaderodas, o maior guia de acessibilidade da América Latina, premiado pela ONU em 2017.

Acessibilidade, portanto, não se restringe apenas a pessoas com deficiência. Acessibilidade é boa para as empresas, boa para os trabalhadores, boa para os clientes, boa para os negócios. Uma ideia quando é boa, é boa para todos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + sete =