Resumo da Semana: notícias do mercado imobiliário corporativo #012

Apresentamos abaixo as principais e mais recentes notícias do mercado imobiliário corporativo nesta segunda semana de janeiro, além de artigos com temas relacionados.

GPA cria operação de logística para vender serviços a terceiros

10/02 – Valor Econômico

O GPA, dono das redes Extra e Pão de Açúcar, avança nos trâmites para expansão do seu “marketplace” (shopping virtual) e obtém registro de armazém geral para a empresa de logística da companhia. Segundo edital publicado no Diário Oficial de São Paulo do fim de 2020, a GPA Logística e Transporte passa a poder gerenciar e distribuir produtos de terceiros em suas centrais.

Até o momento, a empresa operava basicamente a plataforma digital em seus sites, do Pão de Açúcar e Extra, com a venda de produtos de outros lojistas.

O lançamento de seu marketplace foi em novembro passado.

O GPA chegou a mencionar a analistas recentemente o interesse em oferecer um pacote de serviços mais completo aos terceiros que expõem seus produtos no seu marketplace.

Empresas costumam cobrar uma taxa de comissão (de 10% a 20%) sobre vendas e fretes nessas operações. Normalmente esse pacote envolve coleta, armazenagem e entrega de produtos de lojistas, e evolui para outras áreas, como a venda de serviços financeiros e de publicidade aos vendedores, algo que o GPA tem planos de explorar também.

O rival Carrefour ainda não oferece serviços de logística a vendedores de seu marketplace, mas desde 2020 já tem essa operação de shopping virtual também no Atacadão, o atacarejo do grupo.

A entrada de mais varejistas no segmento de logística aumenta a competição entre as grandes operadoras do setor, como Loggi e Luft, e entre os próprios marketplaces rivais. Mercado Livre, Magazine Luiza e B2W (Americanas.com, Submarino) já oferecem algum tipo de serviço logístico aos vendedores parceiros, apesar de a categoria representar parcela pequena da cesta total.

Os grandes supermercados acabaram entrando na venda de alimentos pelo marketplace depois que as plataformas digitais (B2W, Mercado Livre) já exploravam a área.

Ao Valor, em nota, o GPA diz que “tem o know- how da cadeia logística para competir com prestadores de serviços logísticos e tem trabalhado no desenvolvimento de sistemas de controle de suas centrais de distribuição, do transporte e da operação das lojas, garantindo que os serviços da nova empresa estejam conectados com todos os ativos da companhia”.

Afirma ainda que, como relatado ao mercado em novembro, trabalha no lançamento de uma “plataforma logística para fortalecer a proposta de valor do marketplace, com uma visão de jornada ‘end to end’ [ponta a ponta] com objetivo de otimizar processos”. São cerca de 70 vendedores e mais de 30 mil produtos de parceiros do marketplace do GPA nos sites do Pão de Açúcar e do Clube Extra.

IGP-M: inflação do aluguel acelera alta para 1,92% na 1ª prévia de fevereiro

10/02 – G1

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) subiu 1,92% na primeira prévia de fevereiro, segundo divulgou nesta terça-feira (9) a Fundação Getúlio Vargas, diante do aumento nos preços no atacado. Na leitura realizada no mesmo período de janeiro, o indicador havia registrado taxa de 1,89%.

Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 24,87% para 28,17%.

“O Índice de Preços ao Produtor (IPA), indicador que exerce a maior influência sobre o IGP, segue em aceleração refletindo os aumentos registrados nos preços de commodities agrícolas e industriais.

Tais pressões inflacionárias estão alimentando repasses pela cadeia produtiva”, afirmou André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

Os Bens Intermediários aceleraram sua alta de 1,38% no primeiro decêndio de janeiro para 2,34% no mesmo período deste mês, refletindo a inflação dos materiais e componentes para a manufatura.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. Ele sofre uma influência considerável das oscilações do dólar, além das cotações internacionais de produtos primários, como as commodities e metais.

A chamada inflação do aluguel encerrou 2020 em 23,14%, a maior alta desde 2002.

Composição do índice

  • O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), com peso de 60% no IGP-M, registrou avanço de 2,54% no primeiro decêndio de fevereiro, contra 2,42% no mesmo período do mês de janeiro;
  • O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% no IGP-M, passou de 0,38% no primeiro decêndio de janeiro para 0,19% no primeiro decêndio de fevereiro.
  • O Índice de Nacional de Custo da Construção (INCC), com peso de 10% no IGP-M, teve alta de 0,60% na primeira prévia de fevereiro, contra 0,94% no mesmo período do mês de janeiro.

Entre os componentes do IPC, o destaque foi o grupo Habitação, que abandonou a alta de 1,06% registrada no mês passado para recuar 0,21% na primeira prévia de fevereiro. O item tarifa de eletricidade residencial, que passou de alta de 3,40% para queda de 2,48%, foi um dos principais responsáveis por esse comportamento.

BR Properties espera acelerar ritmo de contratos de locação

09/02 – Valor Econômico

A BR Properties espera aceleração no ritmo de fechamento de novos contratos de locação de escritórios comerciais em relação ao atual, segundo o presidente, Martín Jaco. Devido à pandemia de covid-19, a potenciais inquilinos frearam a tomada de decisão em relação a novas contratações, entre abril e setembro de 2020. Nos últimos três meses, negócios voltaram a ser fechados, e a BR Properties alugou 28.257 m2.

“Mesmo que o ritmo da vacinação não seja o ideal, temos uma vacina, o que não havia em 2020. A retomada pode ser mais lenta do que gostaríamos, mas é positiva.

Esses fatores favorecem, primeiramente, a locação de imóveis de padrão triple A, em mercados consolidados”, diz Jaco, acrescentando que empresas precisam se reposicionar, e algumas, até mesmo se expandir.

Potenciais inquilinos dos setores de tecnologia, financeiro e de energia têm liderado a busca por áreas. Dos 7.849 m2 locados das Torres Ventura, no Rio de Janeiro, 5.900 foram contratados pela IBM. Uma empresa do grupo Engie também alugou áreas do empreendimento. Na capital paulista, a Torre Aroeira, do Parque da Cidade, está 41% pré-locada. A BR Properties possui três torres no Parque da Cidade.

“Enquanto em São Paulo, a economia é mais dinâmica, no Rio de Janeiro, há mais carência de espaços de qualidade”, compara Jaco.

O executivo conta que, no ano passado, as devoluções de espaços de maior porte que ocorreram já estavam previstas antes da pandemia. O volume devolvido como consequência da pandemia e da crise se concentrou em áreas inferiores a 1.000 m2, ocupadas por empresas de menor porte. “O pior em termos de devoluções já ocorreu”, diz o presidente da BR Properties.

No ano passado, o lucro líquido da companhia caiu 34%, para R$ 206,3 milhões. A BR Properties informou também lucro líquido ajustado (FFO) de R$ 189,5 milhões, com expansão de 234%. O indicador foi o maior desde 2015. A margem FFO chegou ao patamar recorde de 60%. A companhia atribui o desempenho à gestão de passivos e à reciclagem do portfólio de propriedades.

A receita líquida teve queda de 17%, para R$ 313,6 milhões. O indicador foi impactado, positivamente, em 2019, pela venda de 19 ativos. Considerando-se a mesma base de propriedades, houve aumento de 11% da receita. Algumas novas locações fechadas em 2019 só foram efetivadas no ano passado. Além disso, em alguns casos, segundo Jaco, renegociações de aluguel resultaram em valores maiores.

“Não fosse a covid-19, os valores das locações e revisionais de contratos teriam sido muito mais altos”, diz o executivo. Segundo ele, a companhia está cautelosa e conservadora, mas apresentou bons resultados.

Com investimento de R$ 1,2 bi, antiga fábrica da Ford vira centro logístico

08/02 – Estadão

Com investimento de R$ 1,2 bilhão o grupo comprador da antiga fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, iniciará até junho as obras para transformar em um moderno centro logístico a área que abrigou a linha de montagem de veículos da marca por 52 anos.

Desse valor, R$ 550 milhões foram para a aquisição do complexo de 1 milhão de metros quadrados fechado em outubro de 2019.

No mês passado a Ford também decidiu fechar as três fábricas restantes em Taubaté (SP), Camaçari (BA) e Horizonte (CE), que podem ter destino igual a do ABC e trocar a vocação industrial para serviços.

A área de São Bernardo terá 13 galpões modulares em 460 metros quadrados de área construída, com dimensões variadas e possibilidade de serem adaptados às necessidades do locador.

Também vai abrigar uma área com praça de alimentação, mercado e academia aberta aos funcionários e à população. A intenção é que metade dos galpões fiquem prontos em maio de 2022 e os demais em outubro de 2023.

Mauro Silvestri calcula que serão gerados entre 4 mil e 4,5 mil empregos quando o complexo estiver todo ocupado. Ele é sócio-fundador da Construtora São José, compradora da área em parceria com a Áurea Asset Management, que tem entre os investidores os fundos do BTG e do Credit Suisse. “A Ford empregava 2,8 mil pessoas”, compara.

Para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), “a expectativa dos proprietários é gerar mais de 3 mil empregos e, neste momento em que o País atinge um dos maiores índices de desemprego da história, isso é o mais importante”.

E-commerce brasileiro cresce 73,88% em 2020, revela índice MCC-ENET

02/02 – Ecommerce Brasil

O e-commerce segue em expansão no Brasil. No mês de dezembro de 2020, registraram alta de 53,83%, em relação ao mesmo período de 2019. O faturamento, considerando a mesma base comparativa, teve crescimento de 55,74%. Mesmo com uma boa evolução, as vendas registraram queda ao comparar dezembro de 2020 com o mês de novembro: (-27,16%). No acumulado do ano, por sua vez, fechou com índice positivo: 73,88%.

Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) em parceria com o Neotrust | Movimento Compre & Confie.

“Mesmo com a flexibilização e abertura das lojas do varejo físico para um cenário mais semelhante ao observado antes da pandemia, os dados de dezembro comprovam que as compras online tornaram-se um hábito dos consumidores brasileiros.

O forte crescimento das vendas de Natal ajudou para que o resultado consolidado do ano realmente fosse um sucesso para o setor”, afirma André Dias, coordenador do Comitê de Métricas da camara-e.net e Fundador do Neotrust | Compre & Confie.

Seguindo na métrica de vendas, ao observar os dados por região, na comparação entre dezembro de 2020 com o mesmo período de 2019, a composição ficou da seguinte forma: Nordeste (77,63%), Sul (66,22%), Sudeste (48,32%), Centro-Oeste (46,99%) e Norte (39,25%).

Os resultados do acumulado do ano foram: Nordeste (100,34%), Sul (79,22%), Norte (73,24%), Centro-Oeste (72,87%) e Sudeste (68,74%).

ARTIGOS BUILDINGS

Antes de finalizar, confira os artigos e outros conteúdos na Revista Buildings e também no nosso canal no Youtube.

Nesta semana, participamos de uma matéria publicada no Jornal Minas, que trouxe números da pandemia em relação ao cenário imobiliário de Belo Horizonte, com destaque para as salas comerciais vazias que chegaram a 15% em BH.

Além disso, publicamos um novo vídeo no canal da Buildings no Youtube, sobre o fundo imobiliário logístico BRCO11 da Bresco Logística.

Se você se interessa pelo mercado logístico e por fundos imobiliários, não deixe de conferir esta análise completa que realizamos.

Não deixe de acessar, também, esses e outros conteúdos na Revista Buildings. E nos siga nas redes sociais:

Instagram
Facebook
LinkedIn
Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 3 =