Elon Musk versus home office: aquecimento dos escritórios e FIIs

O bilionário Elon Musk tem movimentado os noticiários nas últimas semanas. A mais recente “polêmica” surgiu após sua declaração de oposição ao modelo de trabalho home office, adotado em caráter de urgência nos meses iniciais da pandemia.

No final de maio, o CEO da Tesla disparou um e-mail aos seus funcionários dizendo que “o modelo de trabalho remoto não seria mais aceitável”.

A  mensagem viralizou na internet e, desde então, a discussão tem sido recorrente: Elon Musk está certo ou errado? É hora de acabar com o home office?

O posicionamento de Musk mais uma vez movimentou o mercado e, como de costume, trouxe à tona uma mina de dinheiro, que pode “jorrar” bons proventos a qualquer momento.

Oportunidade para os FIIs aquecerem o mercado

A postura do empresário mais famoso do mundo ativou um gatilho crucial para a recuperação de um segmento de ativos que pode gerar renda passiva de 4 dígitos.

Trata-se de um segmento conhecido por gerar renda passiva mensal, que foi duramente impactado pela pandemia, mas que agora apresenta bons sinais de recuperação: os Fundos Imobiliários (FIIs).

Estes ativos sofreram bruscamente os impactos do isolamento social ao longo de 2 anos, até meados de janeiro deste ano.

Como as empresas tiveram de adotar o modelo de trabalho remoto durante os meses mais acentuados da crise, como forma de reduzir custos, muitas delas entregaram seus imóveis ou reduziram seus escritórios. Isso claro, afetou diretamente o desempenho de muitos fundos, já que grande parte deles está ligada a imóveis corporativos de alto padrão.

Com a pandemia e a alta dos juros, que tende a prejudicar ativos de renda variável, muitos fundos estão extremamente desvalorizados e podem, além de entregar proventos gordos todo mês, ainda registrar valorização em suas cotas.

Além do retorno das atividades presenciais no início do ano, a postura do dono da Tesla pode surtir efeitos ainda mais positivos para o setor.

A recuperação dos aluguéis

Afinal, a opinião de Elon Musk pode influenciar as grandes companhias pelo mundo a alavancar a recuperação dos aluguéis para o segmento corporativo, beneficiando diretamente os FIIs.

Aplicar em fundos imobiliários é o mesmo que investir em diversos imóveis ou em títulos de dívida imobiliária. Com isso, a pessoa que investe em FIIs se torna dona de uma ou de várias cotas (pedaços dos imóveis administrados pelo fundo).

Logo, terá direito a receber parte dos aluguéis, sem ter de desembolsar milhões de reais comprando ou construindo um imóvel sozinho.

Além disso, esses lucros são líquidos, pois os “dividendos” dessa classe de ativos são isentos de Imposto de Renda. Muitas vezes, inclusive, são valores substanciais.

A título de exemplificação, conforme quadro abaixo, o valor de R$2.244,44 foi o que uma advogada recebeu por apenas um mês de seus investimentos, seguindo as recomendações do analista Caio Araújo da Empiricus. Os lucros dos FIIs variam de acordo com o tamanho do investimento.

Fonte: Empiricus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − quatro =