Como a aceleração digital está ressignificando o workplace

escritorio

Ambientes de trabalho híbridos.

 

Com o desenvolvimento da tecnologia ao longo das últimas décadas, ganhamos novas formas de melhorar o contato entre as empresas e seus fornecedores; clientes e colaboradores também não ficaram de fora. Não temos como saber como será o futuro – não só no ambiente de trabalho – mas em outras áreas também, inclusive em nossa forma de nos relacionarmos. Afinal, o futuro pode estar no dia de amanhã.

A agilidade dos avanços tecnológicos cresce exponencialmente e precisamos nos preparar para essa nova realidade. E, como em diversos aspectos da vida, é primordial estarmos abertos e receptivos para extrair as vantagens de mudanças drásticas, principalmente aquelas que causam impacto coletivo.

A tecnologia que, em outros tempos, poderia ser vista com uma grande vilã – um temor pela substituição da mão-de-obra humana – tornou-se uma aliada indispensável para a continuidade de diversas atividades, especialmente nesses tempos atípicos em que a pandemia do novo coronavírus nos apresentou.

Até há pouco tempo ainda se discutia sobre a atividade de home office versus ambiente de trabalho presencial, seus benefícios e desvantagens. Hoje sabemos que o ambiente de trabalho pode ser em qualquer lugar com conexão, denominado como workshifting.

trabalho remoto

O trabalho remoto pode ser realizado de qualquer lugar.

 

O espaço de workplace, por exemplo, é o local onde podemos ser muito produtivos. E todo avanço da tecnologia proporcionou muitos benefícios, melhorias, tais como: acesso a diferentes plataformas de conferência virtual; aplicativos que proporcionam reserva de estações de trabalho para empresas que optam pelo free seeting; consultas online através da telemedicina, entre outras vantagens do mundo virtual.

Leia Também sobre outros temas:
– A geração de energia e a legislação trabalhista
– Fundos Imobiliários no Brasil: vale a pena investir agora?
– Conheça os condomínios certificados pelo Guiaderodas

Nosso tempo, cada vez mais valioso (e escasso), será dedicado a ações que a inteligência artificial nesse momento ainda não permeia. Ou seja, nosso foco será em treinar nossas habilidades comportamentais, uma vez que as técnicas serão realizadas a nosso favor por meio da tecnologia.

As 10 habilidades mais importantes para o profissional do futuro, de acordo com o World Economic Forum, serão todas comportamentais e não técnicas. Nesse novo mundo normal, precisaremos saber como pensar e não o que pensar, além de aprender e nos aprimoramos constantemente, uma vez que a tecnologia continuará a avançar em escala exponencial.

Artigo produzido por Sylvia Fernandes da Trio Arquitetura e Engenharia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dezesseis =