Resumo da Semana: notícias do mercado imobiliário corporativo #45

Confira abaixo as mais recentes notícias do mercado imobiliário corporativo, além de artigos com temas relacionados.

Fundos imobiliários: locações de lajes corporativas retomam volume pré-pandemia

27/09 – Suno Notícias

A absorção bruta de novas locações de lajes corporativas alcançou 80 mil m² no 3º trimestre deste ano, o maior volume desde o 4º trimestre de 2019, de acordo com a consultoria Newmark.

Com isso, especialistas já acendem alerta para os fundos imobiliários que investem nesses ativos e apresentam desconto no valor da cota neste momento.

O resultado de locação de lajes corporativas no 3º trimestre supera em 9,2 mil m² a marca de absorção bruta do segundo trimestre deste ano (de 70,8 mil m²), que já havia sido o maior resultado desde o final de 2019.

Um dos motivos, segundo os especialistas, é a retomada de grandes empresas aos escritórios, após um longo período de vacância na pandemia.

O assessor Maicon Melo, sócio da Online Traders, explica a retomada de lajes corporativas:

“Nas últimas semanas, tivemos anúncios de empresas de grande porte, como Amazon e Shopee, em retas finais para locarem grandes espaços na avenida Brigadeiro Faria Lima, zona sul de São Paulo.”

Do total de novas locações no 3º trimestre, 34% estão concentradas justamente na Faria Lima, com os segmentos financeiro e de investimentos puxando a retomada, juntamente com empresas de tecnologia e e-commerce e escritórios de advocacia.

O avanço da vacinação e a queda no número de óbitos por Covid-19 aceleraram as locações de escritórios de alto padrão em São Paulo.

Além disso, nesse cenário de retomada, especialistas apontam que o IFIX, principal índice de fundos imobiliários da B3, se mostra atrativo para o mercado e consideram um bom momento para investimentos em segmentos como os de lajes corporativas e renda urbana.

“Temos ainda fundos imobiliários abaixo de seus valores patrimoniais que seguem pagando dividendos de 6 até 8% ao ano. É um cenário interessante”, considera Melo.

Center Norte terá bairro planejado com arena de shows, restaurantes e hospital

24/09 – Valor Econômico

Após anos de estudos, o grupo Baumgart deve, finalmente, avançar num audacioso projeto imobiliário na zona norte de São Paulo, na tentativa de transformar uma gigantesca área ociosa, que forma a “Cidade Center Norte”, num bairro planejado.

Fernandes, da Cidade Center Norte: “Temos um espaço desocupado e de alto valor, algo que é uma raridade em São Paulo” — Foto: Silvia Zamboni/Valor

O plano da família, dona da Vedacit e uma das mais tradicionais do setor de shoppings, deveria ter saído do papel no ano passado, mas a pandemia obrigou o grupo a repensar o projeto, que surge dentro do conceito de áreas mais abertas e integradas.

A WTorre é parceira em parte do investimento.

Foram feitas pesquisas com consumidores da região após a pandemia, para definir eventuais ajustes no projeto.

Atualmente são cerca de 600 mil metros quadrados de área – o equivalente a 70 campos de futebol – mas apenas um terço disso é utilizado pelos Expo Center, shoppings Center Norte e Lar Center, e pelo Novotel Center Norte.

Serão construídos prédios comerciais e residenciais, arena para shows e jogos, lojas, restaurantes e hospital.

Paralelo a isso, o grupo também irá ampliar em cerca de 10% a área do Shopping Center Norte – a última ampliação ocorreu em 1999 – e expandirá o Expo Center em até 30%.

Na primeira fase, estão previstos R$ 1,2 bilhão de reais para o centro de entretenimento (inclui a arena), a expansão do shopping e do centro de exposição e a etapa inicial do desenvolvimento imobiliário. Esse ciclo começa em 2022 – e parte dele avança na metade do ano.

Pelas projeções, serão entre 10 e 15 anos para a construção de todas as etapas do plano.

“A ideia é ter os edifícios no entorno de toda a área integrados aos espaços de serviços e entretenimento, e com praças e áreas verdes espalhadas”, disse Flavio Fernandes, diretor-presidente da Cidade Center Norte.

O metro quadrado na região está entre R$ 7 mil e R$ 9 mil reais.

A arena terá capacidade para até 18 mil pessoas no formato para eventos esportivos e até 25 mil em shows.

Eco Sapucaí, ‘elefante branco’ no Centro do Rio, consegue 1º locatário seis anos após construção

23/09 – O Globo  

Maior “elefante branco” do mercado imobiliário carioca, o Eco Sapucaí começa a desencantar. Após seis anos vazio — desde a inauguração, em 2015 —, o edifício construído ao lado do Sambódromo conseguiu finalmente encontrar seu primeiro locatário.

A companhia de óleo e gás franco-americana TechnipFMC alugou 6 mil metros quadrados no edifício, segundo uma das fontes, e deve entrar no prédio dentro de alguns meses.

O contrato representa um alívio, mas não resolve os problemas do empreendimento: ainda falta encontrar interessados em ocupar os 83 mil metros quadrados ainda vagos no prédio.

Imóvel “triplo A” com projeto de Oscar Niemeyer, o Eco Sapucaí ocupa terreno da antiga fábrica da Brahma e pertence ao GIC, fundo soberano de Cingapura. Nos últimos anos, tanto o governo do Estado (à época do governador Luiz Fernando Pezão) como a prefeitura do Rio (gestão Marcelo Crivella) cogitaram mudar a máquina pública para lá, mas os planos não avançaram.

O imóvel tem 19 andares, 34 elevadores e 1065 vagas de garagem.

DHL prevê novo centro de distribuição em janeiro

23/09 – Folha de S.Paulo

A DHL Supply Chain está construindo um novo centro de distribuição, em Extrema, Minas Gerais, com previsão de abertura em janeiro do ano que vem. Isso aumentará em 12 mil metros quadrados a capacidade da empresa.

Além do novo galpão, as instalações também terão uma filial de transportes própria.

Com a abertura, a área total de armazenagem da DHL no sul de Minas chegará a 30 mil metros quadrados. Além de Extrema, a empresa já tem cinco pontos entre Varginha e Pouso Alegre, também na região.

A empresa não revelou o valor do investimento, que foi feito para atender o aquecimento da demanda de mercados como tecnologia, saúde, bens de consumo e varejo.

Atualmente, a companhia já movimenta mais de 100 toneladas por mês na região, que é estratégica pela localização entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A expectativa é que a filial de transportes agilize o trajeto das cargas, facilitando a conexão da região com a malha nacional de distribuição da empresa, que tem mais de 5.000 veículos.

BR Properties fecha permuta com Cristais Log para construir condomínio logístico

29/09 – Seu Dinheiro

BR Properties fechou um contrato de permuta com três empresas da Cristais Log para adquirir um terreno de propriedade com destinação logística e industrial, localizado em Cajamar, na Comarca de Jundiaí (São Paulo), para o desenvolvimento de um projeto logístico de, aproximadamente, 150.000 m² de área bruta locável.

Segundo a empresa, o terreno está em uma área adjacente ao Projeto Cajamar I, onde a BR Properties já é proprietária de um condomínio logístico em desenvolvimento, com área bruta locável superior a 149 mil m² e previsão de entrega para o segundo trimestre de 2022.

O contrato prevê o desenvolvimento pela companhia, na área do terreno, de dois condomínios logísticos (Projeto Cajamar II) que serão compostos por quatro galpões.

O preço de aquisição do terreno é correspondente à obrigação de permuta de construção de 33% do Projeto Cajamar II às empresas Cristais Logs, acrescido de uma torna (complemento), em dinheiro, no valor de R$ 10 milhões de reais.

Após a conclusão da construção, a companhia será proprietária de 67% do empreendimento.

A aquisição faz parte da estratégia de posicionamento da BR Properties no mercado de galpões industriais e logísticos.

“Localizada a 30 quilômetros da capital paulista, e com fácil acesso às principais rodovias do estado, a região de Cajamar vem se consolidando com a principal região logística do país. Após a conclusão do projeto, a Companhia será proprietária de aproximadamente 220.000 m² de área bruta locável em Cajamar”, aponta a companhia.

ARTIGOS BUILDINGS

Antes de finalizar, te convido para conferir os artigos e outros conteúdos na Revista Buildings e também no nosso canal no Youtube.

Na última semana, Fernando Didziakas, sócio diretor da Buildings, participou do bate-papo Office Connection Digital_21, para falar sobre o mercado de escritórios e a volta ao trabalho presencial.

Em sua fala ele destacou que “Muitas das empresas que devolveram seus espaços neste último um ano e meio de pandemia, fizeram isso muito mais pelo fator econômico, do que em razão de adotar o modelo home office a longo prazo.”

Quer ficar por dentro de tudo que foi conversado durante o evento? Confira o evento na íntegra no canal Office Connection no Youtube e também na Revista Buildings!

Além disso, caso ainda não tenha visto, nosso vídeo mais recente é sobre Como encontrar oportunidades por regiões e Fundos Imobiliários em São Paulo. Se você se interessa pelo assunto, não deixe de conferir nosso canal no Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 15 =