Confira a prévia dos dados do 1º TRI em São Paulo e Rio de Janeiro

Foto: Narciso Arellano on Unsplash

 

As muitas incertezas sobre o impacto trazido pela crise de saúde em 2020 no mercado de escritórios ainda rondam este início de ano. Apesar da vacinação ter começado em janeiro, de lá para cá, os números de infectados aumentou e as restrições de isolamento determinadas pelo governo do estado, novamente tem trazido preocupações ao setor imobiliário.

Por consequência, para entender melhor o cenário deste primeiro trimestre de 2021, trouxemos uma prévia dos dados do mercado imobiliário corporativo em São Paulo e Rio de Janeiro, apurados até agora em 85% e 83% respectivamente.

Mercado classe A em São Paulo

Os dados apurados até o momento apontam que foram adicionados ao mercado dois novos edifícios comerciais, totalizando 249: o Parque da Cidade – Torre B2 – Paineiras e o Parque da Cidade – Torre B3 – Jatobá.

Se compararmos os dados do fechamento do 4º trimestre de 2020 com os números desta prévia temos:

Quanto ao estoque total, houve aumento: saímos de 4,072 milhões de m² (4T 2020) para 4,155 milhões de m².

A taxa de vacância aponta aumento: de 17,07% (4T 2020) para cerca de 19,40%.

Sobre o estoque ocupado, a absorção líquida foi negativa em 27 mil m².

Sobre o estoque disponível, aumentou de 695 mil m² para 806 mil m².

Mercado classe A no Rio de Janeiro

Na capital fluminense são 126 edifícios de alto padrão, com estoque total de 1,757 milhão de m².

Se compararmos os dados do fechamento do 4º trimestre de 2020 com os números desta prévia temos:

No RJ são 126 edifícios de alto padrão com estoque total de 1.757 milhões de m² (manteve-se o mesmo).

Sobre o estoque disponível, houve aumento de 18 mil m²: de 703 mil m² (4T 2020) para 721 mil m².

A taxa de vacância subiu 1%, de 40% (4T 2020) para 41%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − quatro =