Conheça a região que servirá como termômetro de recuperação para o mercado de escritórios: a Chucri Zaidan

Região da Chucri Zaidan. Foto: Jean Santos

 

Neste novo vídeo no canal da Buildings no Youtube, Fernando Didziakas traz uma análise detalhada sobre a região que será termômetro na recuperação do mercado de escritórios na cidade de São Paulo. Trata-se da região da Chucri Zaidan – que tem crescido em edifícios de alto padrão.

Historicamente, São Paulo teve o seu centro comercial localizado na Paulista. De lá para cá, ela desceu para as regiões da Faia Lima, Itaim Bibi (que hoje é a Nova Faria Lima), Vila Olímpia, Berrini e agora temos na Chucri Zaidan um grande polo comercial em desenvolvimento. Ainda existe potencial na Chácara Santo Antônio, é valido mencionar.

A cidade fez basicamente esse caminho de desenvolvimento comercial e o miolo da Chucri Zaidan ganhou grande relevância nos últimos tempos.

Edifícios da Chucri Zaidan

Olhando do escritório da Buildings que está localizado – no 18º andar da Rua Henry Dunant na Chácara Santo Antônio – em direção à Berrini, podemos ver empreendimentos como a Torre Z, a ponta do RiverView, que passou por retrofit recentemente e se tornou multi-inquilino.

Também enxergamos as duas torres do shopping MarketPlace. As torres do Rochaverá, o WT Morumbi, o Morumbi Corporate e atrás dele, o Parque da Cidade. E logo na frente há a construção do Esther Towers, o EZ Towers que nasceu como característica de propriedade privada e hoje está na estrutura de fundos imobiliários.

Aqui já temos um conglomerado de prédios, além do novo shopping do Parque da Cidade.

Região da Chucri Zaidan. Foto: Jean Santos

Região importante

Como se pode ver, há uma variedade muito grande de serviços à disposição do público que trabalha, estuda e/ou mora na região. Além dos shoppings com restaurantes, farmácias, academia, escolas, há linhas de trem e metrô que facilitam muito o acesso e a locomoção.

O perfil corporativo na cidade de São Paulo aponta 252 imóveis de escritórios de alto padrão, numa área de mais de 4 milhões de m². Quando olhamos para os espaços ofertados são cerca de 70 mil m² – que serão devolvidas pelos inquilinos nos próximos meses. A taxa de vacância atual corresponde a 20%, o que é considerada alta.

Destes 252 empreendimentos comerciais de alto padrão, 30 deles estão na região da Chucri Zaidan.

Painel histórico

=> Você já conhece a plataforma Buildings CRE Tool? É por meio dela que temos acesso ao painel histórico apresentado a seguir. 

Quando olhamos o nosso painel histórico, os empreendimentos classe A da Nova Faria Lima são 48 edifícios e quase 1 milhão de m² de alto padrão:

Se considerarmos apenas o universo A+ da Nova Faria Lima são 677 mil m² existentes, um volume bem grande.
Porém, quando olhamos para o classe A+ da Chucri Zaidan temos 735 mil m² de altíssimo padrão nessa região, ou seja, é a região de São Paulo que tem a maior quantidade de m², por isso sua grande relevância.

Os 30 edifícios classe A e A+ existentes,  apresentam 30% de taxa de vacância. É alta, claro. Se comparada com São Paulo como um todo, a vacância é de 20% neste universo.

Leia também:
– Como as empresas de tecnologia estão lidando com seus escritórios na pandemia?
– Conheça alguns dos novos modelos de ‘escritórios do futuro’ antecipados pela pandemia

Aspectos importantes de uma região como centro comercial

Primeiro: a região possui diversos empreendimentos de alto padrão, variedade de serviços e transporte público de qualidade, com linhas próximas de trem e metrô.

Segundo: tem a maior quantidade de empreendimentos de alto padrão, o que valoriza muito as relações comerciais.

Terceiro: com 30% de taxa de vacância, bem alta, naturalmente haverá queda nos preços de locação. Essa região vai atrair inquilinos de outras regiões e haverá melhores condições de negociação de preço. Um exemplo é a Enel, que está saindo do outro lado da cidade (Alphaville/Barueri) para se realocar por aqui. Está vindo para um prédio do Parque da Cidade.

É válido destacar que houve grandes devoluções, como no Morumbi Corporate e no Rochaverá, e que cidade sofreu com isso. Mas a região também recebeu novas entregas, com as três torres do Parque da Cidade, e vai precisar de algum tempo para absorver esta entrega.

Paulista, Faria Lima, Vila Olímpia praticam preços diferentes. Isso é normal. Mas a Chucri Zaidan será sempre um balizador para o restante da cidade em relação ao preço do m². Com o passar do tempo será normal que a taxa de vacância reduza e que a região consiga praticar preços melhores. Será sempre um comparativo na hora de renovação de contrato.

=> Não deixe de baixar o Buildings Mobile, o big data do mercado de real estate. Clique aqui.

Fundos imobiliários e novos projetos

Essa região também ganha relevância em relação ao FIIs. Por aqui existem o BRCR11, o JSRE11, o KNRI11 e o SARE11. Há uma porção de fundos imobiliários que estão ativos nos empreendimentos desta região e isso torna esta análise ainda mais interessante.

Além de tudo isso, há ainda o que está em construção, tanto para retrofits quanto empreendimentos primários.

Esta região ainda tem uma expectativa de crescimento de novo estoque para ser entregue nos próximos trimestres. Como é o caso das torres A e B do Esther Towes. Com isso, a Chucri Zaidan vai ter de enfrentar estas entregas em um futuro próximo.

Como vocês devem ter notado, de fato, a região possui um potencial gigantesco. Os próprios números já têm mostrado isso. Em condições normais, ela terá grandes atrativos para muitas empresas.

Confira o vídeo na íntegra e não deixe de se inscrever no nosso canal, caso ainda não seja inscrito. Clique aqui.

 

***

Por meio da plataforma Buildings CRE Tool é possível ter acesso a informações de mais de 8.000 imóveis comerciais, entre escritórios, condomínios logísticos e fundos imobiliários. Se você ainda não conhece, não perca tempo!

>> Conheça a ferramenta CRE Tool

Já conhece o canal da Buildins no Youtube? Confira alguns dos vídeos mais recentes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =