Resumo da Semana: notícias do mercado imobiliário corporativo #26

Confira abaixo as mais recentes notícias do mercado imobiliário corporativo, além de artigos com temas relacionados.

Comerciantes conseguem reduzir em até 80% o aluguel de lojas na Justiça

19/05 – O Globo

O aumento do aluguel – ou mesmo a manutenção do seu valor durante a crise econômica provocada pela pandemia – motivou um grande número de comerciantes a recorrerem à Justiça para evitar o fechamento definitivo de lojas e estabelecimentos.

Comércio fechado no Centro do Rio / Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

O índice que normalmente corrige os contratos, o IGP-M, acumula alta em 12 meses de 32,02% em abril.

Os pedidos se concentram na redução ou suspensão do valor do aluguel. Em geral, comerciantes que comprovaram ter sido afetados financeiramente conseguiram redução, mas dentro de alguns parâmetros.

Já existem ações que garantiram abatimento de até 80% no aluguel.

Mas normalmente a autorização é menor e para períodos limitados, como enquanto durarem medidas que impeçam ou restrinjam a abertura da loja. Tem prevalecido o entendimento de que os fardos da pandemia devem ser compartilhados, o que significa que não há suspensão de pagamento.

A solução é reduzir o valor: o inquilino paga menos, mas o dono do imóvel continua a receber uma parte.

Os casos na justiça abrangem processos da primeira e da segunda onda da pandemia. Foram levantados exemplos nos Tribunais de Justiça do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Mercado Livre vai investir R$ 4 bilhões no estado de São Paulo

17/05 – Valor Econômico

O Mercado Livre informou na última segunda-feira, 17, que vai investir R$ 4 bilhões de reais no estado de São Paulo neste ano. O montante faz parte de um total de R$ 10 bilhões de reais em investimentos no país em 2021, que a empresa de comércio eletrônico anunciou em março.

Fernando Yunes, presidente do Mercado Livre. / Foto: Silvia Zamboni/Valor

No mercado paulista, os recursos serão prioritariamente direcionados a logística e tecnologia.

A empresa de comércio eletrônico de origem argentina também iniciou o processo de contratação de 7,5 mil pessoas no Brasil.

Desse total, 5 mil vagas serão criadas em São Paulo, nas cidades de Cajamar, Osasco e Louveira.

O aporte no país é 250% maior que o realizado em 2020 e ocorre na esteira do forte crescimento do comércio eletrônico desde o início da pandemia.

Das vagas criadas em São Paulo, 4,5 mil serão na área de logística. Segundo informou o presidente do Mercado Livre no Brasil, Fernando Yunes.

“É provável que no ano que vem o investimento seja ainda maior, dado que a penetração do comércio eletrônico no Brasil é de 11%. Antes da pandemia era 5%, há muito espaço para crescimento. Nos Estados Unidos, é 25%”.

Cerca de 85% dos vendedores do Mercado Livre estão no estado de São Paulo e, por isso, a companhia vai reforçar seu aporte em logística para reduzir os prazos de entrega das mercadorias no Brasil.

Outras gigantes do segmento, como a Amazon e o Magazine Luiza, também anunciaram investimentos.

A primeira inaugurou na última semana um centro de distribuição em Cajamar, mesma cidade onde o Mercado Livre concentra sua logística.

Já o Magalu tem investido principalmente em aquisições de startups e na área tecnológica para manter competitividade.

Novata em fundos imobiliários, Navi foca em crédito, logística e varejo em FOF de R$ 100 milhões de reais

17/05 – Info Money   

Estreante no mercado de fundos imobiliários, a Navi Capital ingressou ao fim de abril no segmento com o lançamento do fundo de fundos Navi Imobiliário Total Return, o NAVT11.

Leandro Viola /Foto: Divulgação

Com um mandato flexível, que permite a alocação não só em cotas de outros FIIs, mas também diretamente no mercado de crédito e em outros ativos com foco no setor imobiliário, o fundo levantou cerca de R$ 100 milhões de reais em sua oferta pública na B3 (de um total inicial de até R$ 144,3 milhões de reais) e conta com aproximadamente 2,2 mil cotistas.

Para uma gestora que tem hoje aproximadamente R$ 9 bilhões de reais em ativos e foco majoritário em ações, não é de se estranhar que os dois sócios e gestores à frente do fundo sejam originalmente do universo acionário.

Gustavo Ribas e Luis Stacchini pretendem agregar uma gestão ativa no dia a dia do fundo, adicionando a experiência do mundo de ações ao mercado imobiliário, especialmente em uma carteira que se vale de um bom garimpo para entregar resultado a investidores.

Dentro do portfólio, que pretende manter entre 15 e 20 papéis, a maior fatia está em fundos de crédito, logística e varejo (também chamado de renda urbana), por meio de contratos de locação atípicos (nos quais, em caso de quebra de contrato, a multa paga tende a recair sobre o prazo completo do acordado), com cerca de 80% do total.

Ao fim de abril, os cinco fundos com maior peso no FOF eram Succespar Varejo (SPVJ11) – não negociado na B3 –, CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), Guardian Logística (GALG11), Loft II (LFTT11) e LOG CP Inter (LGCP11).

Juntos, eles detêm 44,5% da carteira, segundo informações recém-divulgadas pela Navi em seu relatório mensal.

JPMorgan reabre escritórios nos EUA e eleva pressão sobre rivais

17/05 – Exame

O maior banco do país, que costuma ditar tendências para o mundo financeiro, reabriu escritórios para funcionários nos EUA na última segunda-feira dia 17. A mudança inclui unidades em Ohio, Texas e Arizona que, ao contrário da sede do banco em Nova York, ficaram pelo menos parcialmente fechadas após os lockdowns da pandemia.

JPMorgan (NurPhoto/Getty Images)

Tudo faz parte do plano da empresa para reintegrar toda a força de trabalho nos EUA, pelo menos em esquemas de rodízio, no início de julho.

Nos últimos dias, um número crescente de autoridades estaduais e federais flexibilizou restrições da pandemia e definiu datas para a reabertura de escritórios e negócios nas próximas semanas.

Com a pressão sobre empregadores, a reabertura do JPMorgan deve ser observada de perto pelas maiores empresas financeiras que, por sua vez, podem ajustar os planos de acordo com os resultados do rival americano.

Por enquanto, o JPMorgan está na vanguarda dos quatro gigantes do setor financeiro do país, que incluem Bank of America, Citigroup e Wells Fargo.

O Bank of America, por exemplo, disse em meados de abril que deve manter a equipe parcial em escritórios até o feriado do Labor Day, no início de setembro.

Uma exceção é o Goldman Sachs, com foco em Wall Street, que pretende trazer os funcionários dos EUA de volta até meados de junho.

O JPMorgan, como outras empresas, manteve os escritórios abertos para profissionais essenciais durante a pandemia. No mês passado, o banco anunciou que abriria escritórios nos EUA para todos os funcionários na segunda-feira, com um limite de ocupação.

Magazine Luiza avança na logística e testa entrega em 1 hora em 45 lojas

13/05 – Neo Feed

O comércio eletrônico brasileiro está entrando em uma nova corrida: qual será a empresa que fará a entrega mais rápida ao consumidor? Nessa disputa, o Magazine iniciou um teste em 45 lojas para fazer entregas em até uma hora, informou Frederico Trajano, CEO da varejista. Segundo ele.

Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza.

“Esse ano, estamos focando em entregas em 1 hora. Já temos 45 lojas fazendo isso. Então, vamos seguir aumentando o nível de serviço. Na China, você tem entrega em 20 minutos.”

Sem fornecer detalhes, Trajano disse que o objetivo é crescer significativamente esse número ao longo de 2021. Hoje, o Magazine Luiza conta com mais de 1,3 mil lojas.

No primeiro trimestre deste ano, 51% dos pedidos feitos no site do Magazine Luiza foram entregues em até 24 horas. Em dois dias, esse percentual foi de 70%. Esse dado não leva em conta a venda dos sellers de seu marketplace.

Ele ainda destaca:

“Vamos ampliar a malha física: mais unidades logísticas e mais lojas que funcionam como mini-CDs. E vamos ativar essa malha não só para o 1P (vendas próprias), mas também para o 3P (marketplace). É um investimento que vai beneficiar as duas operações”.

Atualmente, a operação de logística do Magazine Luiza conta com 8 mil motoristas, 103 unidades logísticas, 23 centros de distribuição e 80 estações cross docking e de hubs de última milha.

Os rivais do Magazine Luiza estão também trabalhando para fazer entregas cada vez mais rápidas.

O Universo Americanas, que conta com a plataforma logística Let’s, fez 44% das entregas em até 24 horas. Hoje, 14% dos pedidos são entregues em até 3 horas, segundo balanço de primeiro trimestre.

A Via (ex-Via Varejo), dona das marcas Casas Bahia e Ponto, já faz 42% das entregas em 24 horas. Em dois dias, o percentual sobe para 65%.

ARTIGOS BUILDINGS

Antes de finalizar, não deixe de conferir os artigos e outros conteúdos na Revista Buildings e também no nosso canal no Youtube.

E no nosso canal no Youtube você confere vídeos sobre o mercado de escritórios em várias cidades do Brasil.

Na nossa Série Cidades, já analisamos o mercado de escritórios de Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Recife.

Confira os demais vídeos da Série Cidades:

Não deixe de nos seguir nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + onze =