Resumo da Semana: notícias do mercado imobiliário corporativo #30

Confira abaixo as mais recentes notícias do mercado imobiliário corporativo, além de artigos com temas relacionados.

Pressão da inflação leva Copom a aumentar taxa básica de juros de 3,5% para 4,25% ao ano

16/06 – G1

O Comitê de Política Monetária, o Copom do Banco Central, decidiu na última quarta-feira, dia 16, elevar a taxa básica de juros da economia, a Selic, de 3,5% para 4,25% ao ano.

Imagem: Banco free

O objetivo é conter a pressão inflacionária. É a terceira elevação consecutiva da taxa.

A decisão já era esperada pela maior parte dos analistas do mercado financeiro, que previa aumento de 0,75 ponto percentual da Selic. Uma outra parte chegou a estimar elevação maior, de um ponto, para 4,5%.

Este foi o terceiro aumento da Selic em 2021.

Em março, quando o Copom decidiu elevar a taxa pela primeira vez em quase seis anos, a Selic passou de 2% para 2,75% ao ano. Em maio, subiu de novo, para 3,5% ao ano.

Os economistas avaliam que o aumento da taxa continuará neste ano. A previsão é que a Selic termine 2021 em 6,25% ao ano, segundo pesquisa do Banco Central com mais de 100 instituições financeiras.

A inflação registrada em maio foi a maior em 25 anos.

No comunicado de quarta-feira, o Copom afirmou que a pressão inflacionária está maior que o esperado, sobretudo em relação aos bens industriais, e que o risco de crise energética contribui para manter a expectativa de inflação elevada no curto prazo.

“O comitê segue atento à evolução desses choques e seus potenciais efeitos secundários, assim como ao comportamento dos preços de serviços conforme os efeitos da vacinação sobre a economia se tornam mais significativos”, disse em nota.

Gestores de fundos imobiliários apostam em ‘efeito vacinação’

15/06 – Valor Econômico

Ainda que o ano tenha começado de maneira desfavorável aos fundos imobiliários, o efeito vacina e a retomada do ciclo do setor podem virar o jogo a favor dessa classe de ativos a partir do fim do terceiro trimestre, segundo gestores e especialistas.

Freitas, da Hedge: “Segmento pode captar mais de R$ 40 bilhões em 2021” — Foto: Ana Paula Paiva/Valor

De acordo com afirmação do sócio fundador do escritório NFA Advogados, Carlos Ferrari.

“Podemos apostar sim na vacinação e na retomada da demanda”.

Conforme o especialista, “já existem sinais de que, daqui para a frente, os ativos depreciados do setor começarão a buscar uma melhor precificação”.

Para Ferrari, “no segundo semestre essa sinalização vai aparecer com mais força”.

O sócio responsável pela área de real estate da Mauá Capital, Brunno Bagnariolli, vê o mercado mais animado com os números de crescimento e de imunização. Para ele.

“A gente vê os índices de vacinação avançando e, aos poucos, estamos chegando mais perto do controle da pandemia”.

Já o sócio fundador da Hedge, André Freitas, acredita que iremos viver aqui no Brasil, no quarto trimestre, essa quase euforia que estamos vendo em países com vacinação adiantada como os Estados Unidos.

“As projeções de crescimento do PIB começam a voltar a números próximos a 5%”, disse ele.

As oportunidades no segmento, porém, têm um horizonte de médio e longo prazos. No curto, os riscos ainda são significativos, aponta o sócio da RBR Asset, Bruno Nardo. Ele observa que a vacinação ainda tem ritmo lento e não se pode descartar a possibilidade de uma terceira onda.

‘Trabalho no escritório 5 dias por semana vai voltar a ser a norma em 2 anos’

16/06 – G1    

A semana de trabalho de cinco dias presenciais pode se tornar a regra novamente dentro de dois anos, segundo o centro de estudos britânico Center for Cities.

Jessica Bowles disse que as empresas querem espaços mais flexíveis e baratos, mas a maioria ainda deseja um escritório disponível por cinco dias — Foto: Bruntwood

No Reino Unido, a expectativa para o pós-pandemia é uma mistura de home office e períodos de trabalho no escritório, enquanto o país não se recupera totalmente dos efeitos da crise.

Mas alguns analistas preveem uma volta aos padrões de trabalho anteriores à pandemia.

Atualmente, as pessoas que podem trabalhar em casa ainda são aconselhadas a fazê-lo. No entanto, é provável que esse cenário mude se o governo do Reino Unido acabar com todas as restrições de distanciamento social em 21 de junho.

“Espero que tenhamos três ou quatro dias por semana no escritório enquanto o Reino Unido se recupera”, disse Paul Swinney, diretor de políticas e pesquisas do Center for Cities. Ele afirmou.

“A longo prazo, estou bastante esperançoso de que veremos as pessoas voltando a trabalhar cinco dias por semana. A razão para isso é que um dos benefícios de estar no escritório é a interação com outras pessoas, ter novas ideias e compartilhar informações”.

Dados do Instituto Nacional de Estatística Britânico, publicados em maio, revelaram que a maioria dos britânicos não trabalhava de casa antes de 2020.

A proporção de pessoas que fazem home office mais do que dobrou durante a pandemia. O movimento atingiu o mercado imobiliário de escritórios, ao mesmo tempo que gerou muita discussão sobre o futuro do local de trabalho.

A demanda por mais escritórios no centro de cidades britânicas agora parece estar aumentando.

Para a OLX, escritório do futuro terá mais espaço de convivência e menos de trabalho

14/06 – Época Negócios

No pós-pandemia, os escritórios deverão ter muito mais espaços de convivência entre as equipes e menos de trabalho em si. Essa é a opinião de Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil. Segundo ele.

Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil (Foto: Divulgação)

“Acredito que será um lugar de encontro, para desenvolver o sentimento de pertencimento, para as pessoas se encontrarem, tomarem um café, e também para a realização de reuniões mais estratégicas e criativas. Vai mudar o papel que tinha”.

Segundo ele, a tendência é que o local corporativo passe por algumas mudanças estruturais, se tornando mais amplo e aberto e recebendo mais áreas de convivência, para bate-papos e eventos, e menos mesas e salas.

Diante disso, o executivo avalia que a jornada de trabalho será mais flexível. No entanto, ele pondera que ainda há um certo desconhecimento sobre como este processo se desenrolará ao longo do tempo.

“A OLX trabalha com experimentação. Não definimos agora como vai ser exatamente daqui 2 anos, mas vamos experimentar com novos modelos de colaboração dentro do escritório, sempre ouvindo os funcionários e, assim, iremos construir o futuro”, disse.

A expectativa é pela adoção de um esquema híbrido, em que os profissionais possam trabalhar parte do tempo em casa e parte no escritório – ou apenas se deslocarem até lá quando for mesmo necessário, para participar de uma reunião ou evento, por exemplo.

Nesse cenário, para o gestor, a comunicação entre os times e os líderes se torna ainda mais valiosa.

Seguindo a mesma linha, o CEO da OLX aponta que é fundamental escutar o que os funcionários têm a dizer, seja através de pesquisas ou conversas: “Investimos muito em comunicação desde o último ano. Queremos saber como as pessoas estão se sentindo e como desejam trabalhar. Juntos, vamos resolvendo os problemas e construindo e escalando o modelo ideal”, finalizou.

Mercado Livre inicia entrega no mesmo dia em SP, Salvador e Florianópolis

14/06 – Exame

Mercado Livre anunciou na última segunda-feira, dia 14, que passa a operar o serviço de entrega de encomendas no mesmo dia para região da Grande São Paulo e das regiões metropolitanas de Florianópolis (SC) e Salvador (BA).

(Divulgação/Divulgação)

Segundo a companhia, o serviço vale para compras a partir de 79 reais feitas até as 11h da manhã de produtos sinalizados na plataforma. A opção vale de segunda-feira a sábado.

Segundo o diretor de Transportes do Mercado Envios no Brasil, Luis Perera, o serviço de entrega no mesmo dia, que na saída envolverá cerca de 10 milhões de produtos, incluindo itens de supermercado, deve ser estendido nas próximas semanas.

“Nossa expectativa é que até julho mais de 20% dos CEPs de compradores de todo o Brasil sejam atendidos com entregas neste formato”, afirmou Perera em nota.

Para dar suporte a essa categoria de entregas, a companhia vai ampliar sua frota com maisBpara operar o serviço chamado de última milha.

O movimento vem três meses após o portal, que afirma ter cerca de 70 milhões de usuários ativos e 12 milhões de vendedores na América Latina, ter anunciado plano de investir 10 bilhões de reais no Brasil em 2021, boa parte disso em logística para reduzir os prazos de entrega.

ARTIGOS BUILDINGS

Antes de finalizar, te convido para conferir os artigos e outros conteúdos na Revista Buildings e também no nosso canal no Youtube.

Imagem: Banco free

Nesta semana, publicamos um artigo exclusivo sobre Como as empresas de tecnologia estão lidando com seus escritórios na pandemia. Você sabia que apesar das gigantes Facebook, Amazon e Google já fazerem uso do trabalho remoto, todas cresceram em metros quadrados de escritórios corporativos ao redor do mundo, em plena pandemia?

Acompanhando também estas movimentações e mudanças no mercado, publicamos artigo que traz Alguns dos novos modelos de ‘escritórios do futuro’ antecipados pela pandemia. Qual deles você já utiliza na sua empresa?

E novamente te convidamos para participar da nossa Pesquisa de Mercado sobre a relação atual das empresas com seus escritórios. Quanto seu escritório mudou nestes últimos meses em razão da pandemia?

One Comment

  1. Sérgio D. M. Reply

    Bom dia !

    Quanta contadição nos primeiros tópicos , fica evidente que os “atores” do mercado imob. ainda estão sem chão ( para não dizer que estão “chutando” ) , por outro lado parece que não estão enxergando ou fazendo que não estão enxergando , que realmente a pandemia veio entre mui –
    tos e outros fatores para revolucionar a vida particular das pessoas e empresas , necessita-se
    um olhar mais profundo da situação em geral e ter perspicácia para tal , uma coisa é certa nunca
    mais será como d’antes , só consultar a história mundial !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 18 =